• portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Desenvolvimento de nova exposição autonarrativa: Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo Krenak

Os museus com coleções indígenas vêm cada vez mais atuando diretamente com os indígenas, atendendo suas reivindicações para autorrepresentação nas exposições museológicas. A participação indígena nos museus acontece intensamente após a Constituição de 1988, quando os direitos dos indígenas no Brasil ficam, enfim, demarcados.

       A exposição “Ató Jagí Burum Krenak – Tecendo Saberes do Povo Krenak” conta com a curadoria de um casal Krenak, ligado à confecção de artesanatos do seu povo e, também, com a coordenação de uma professora da mesma etnia. A ideia da exposição, de acordo com os envolvidos, é difundir a cultura Krenak existente no Estado de São Paulo, mostrando os diferentes tipos de adornos, armas, utensílios e instrumentos trabalhados pelos indígenas dessa origem, na terra indígena (T.I.) Vanuíre.
        Durante o processo, foram confeccionadas 25 peças para a exposição. As peças consideradas mais importantes pelos Krenak participantes tiveram sua confecção registrada por vídeo e foto. A segunda etapa é a montagem da exposição. Toda a concepção da será feita pelos Krenak, ficando o Museu Índia Vanuíre responsável pela parte técnica, como registros por meio de áudios, fotos, relatórios de campo, entre outros.

        A proposta para a realização da exposição respeita a participação indígena e reforça a missão do Museu Índia Vanuíre de preservar, valorizar e difundir o patrimônio etnográfico indígena, em especial o legado das culturas que ocupam o oeste paulista, e promover a reflexão crítica sobre valores humanos e cidadania levando em conta diferentes culturas e interações entre diversos grupos da sociedade. Essa ação permitiu o aprimoramento na integração e consolidação de relacionamento entre o Museu e a comunidade Krenak da T.I. Vanuíre.

        Essa é a segunda exposição autonarrativa desenvolvida em parceria com o Museu Índia Vanuíre. A primeira foi realizada com os Kaingang, também da T.I. Vanuíre. A previsão é que a exposição seja inaugurada neste primeiro semestre de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*