governo sao paulo
  • portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Exposições Temporárias

2017

O Olhar É o Sentir Pelas Mãos: Mãos que Sentem, Mãos que Criam

Período: de janeiro a fevereiro/2017    

É direito de cada cidadão ter acesso à arte, cultura e conhecimento, neste sentido, não pode haver barreiras, sejam elas físicas ou intelectuais, por isso o Museu Índia Vanuíre busca continuamente construir atividades cultuais capazes de potencializar a ação e a compreensão do acervo exposto na exposição de longa duração ou exposições temporárias promovendo a qualidade da experiência do visitante vivenciada neste espaço museológico, garantindo assim, a inclusão dos diversos tipos de públicos, incluindo e incentivando os visitantes que habitualmente não são frequentadores do Museu.

Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang: de Geração em Geração

Período: de janeiro a novembro/2017

adsad

 

 

 

 

 

 

A exposição é uma autonarrativa com o intuito de promover a tradição, o processo e as técnicas de confecção da cerâmica Kaingang, valorizando o conhecimento e os fazeres dos indígenas mais velhos e sábios. Todos esses aspectos, materiais e imateriais, foram apresentados ao público através de uma mostra bilíngue (Kaingang e português) que conta com objetos, imagens fotográficas e vídeo.

O Café e a História de Tupã

Período: de junho a novembro/2017

 

 

 

 

 

 

Tupã, localizada no espigão do Rio do Peixe e Aguapeí, possuía terras férteis, boas para cafeicultura e isso atraiu imigrantes para iniciarem suas vidas. A exposição temporária “O Café e a História de Tupã” apresenta ao público informações e registros fotográficos dos primeiros sítios de café e da chegada dos imigrantes que, à medida que a cidade se desenvolvia economicamente, se estabeleceram no comércio local, auxiliando no crescimento da cidade.

2016

Coleção Colecionismo

Período: de janeiro a abril/2016

Coleção Colecionismo 2016

 

 

 

 

 

 

A mostra foi uma oportunidade de exibir ao público as coleções pertencentes ao acervo e que estão guardadas. São itens que despertaram a memória e a emoção dos visitantes.

Tupã Antiga

Período: de janeiro a abril/2016

Tupã Antiga 2016 (2)

 

 

 

 

 

Em comemoração ao aniversário de Tupã, foi realizada a exposição “Tupã Antiga”. A mostra foi composta por registros fotográficos pertencentes ao acervo do Museu. São imagens de fatos e locais relevantes da cidade, que se tornaram peças na engrenagem narrativa da história do município. São objetos fundamentais para o conhecimento, compreensão e fortalecimento da memória, pois imortalizam o momento e podem ser conduzidas para outros tempos.

A Presença do Movimento Negro em Tupã

Período: de janeiro a abril/2016

(2016) A Presença do Movimento Negro em Tupã

 

 

 

 

 

Durante a programação especial da “Consciência Negra”, a exposição foi exibida com a proposta de promover a trajetória de 10 anos da ONG União do Movimento Negro com Todos (Umont), que tem como missão preservar e fortalecer a cultura negra.

O Olhar de Hercule Florence Sobre os Índios Brasileiros

Período: de março a maio/2016

adsad

 

 

 

 

 

A mostra apresenta um panorama histórico e social dos povos Apiaká, Bororo, Coroado (Kaingang), Guaikuru (atualmente Kadiwéu), Guaná, Guató, Kayapó (hoje Panará), Munduruku, Ofaié Xavante e Oti Xavante. A exposição reúne diferentes peças, entre desenhos, aquarelas, manuscritos, objetos, fotografias e livros, que documentam as dinâmicas destes grupos. O resgate histórico dos 190 anos que separam os registros oitocentistas de Hercule Florence e a situação atual procura contribuir para uma perspectiva futura sobre a situação indígena no Brasil.

Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang: de Geração em Geração

Período: de maio a dezembro/2016 (continua em 2017)

adsad

 

 

 

 

 

 

A exposição é uma autonarrativa com o intuito de promover a tradição, o processo e as técnicas de confecção da cerâmica Kaingang, valorizando o conhecimento e os fazeres dos indígenas mais velhos e sábios. Todos esses aspectos, materiais e imateriais, foram apresentados ao público através de uma mostra bilíngue (Kaingang e português) que conta com objetos, imagens fotográficas e vídeo.

Indígenas de Vanuíre nas Lentes de Paulo Lustosa

Período: de outubro a novembro/2016 

exposicao-temporaria

 

 

 

 

 

 

 

Em homenagem ao aniversário de Tupã, o Museu Índia Vanuíre realizou uma exposição de fotografias de Paulo Henrique Lustosa feitas na terra indígena Vanuíre, em 2004. Foram retratados o cotidiano dos Kaingang, Krenak e Terena e, para o resultado final, o artista submeteu as imagens à técnica de solarização ou sabattier, que consiste em expor o produto ainda não finalizado à pequenas e rápidas exposições à luz, alterando os pontos de iluminação e sombra e invertendo esses aspectos, o que confere ao material um desfecho mágico e poético.

O Olhar É o Sentir Pelas Mãos: Mãos que Sentem, Mãos que Criam

Período: dezembro/2016 (continua em 2017)

É direito de cada cidadão ter acesso à arte, cultura e conhecimento, neste sentido, não pode haver barreiras, sejam elas físicas ou intelectuais, por isso o Museu Índia Vanuíre busca continuamente construir atividades cultuais capazes de potencializar a ação e a compreensão do acervo exposto na exposição de longa duração ou exposições temporárias promovendo a qualidade da experiência do visitante vivenciada neste espaço museológico, garantindo assim, a inclusão dos diversos tipos de públicos, incluindo e incentivando os visitantes que habitualmente não são frequentadores do Museu.

2015

Referência Indígena

Período: de fevereiro a setembro/2015

Referência Indígena 2015

 

 

 

 

 

 

O Centro de Referência Kaingang e dos Povos Indígenas no Oeste de São Paulo é um espaço do Museu, dedicado à preservação da cultura Kaingang e dos demais grupos do interior paulista: Krenak, Terena e Guarani. A exposição “Referência Indígena” apresenta ao público um panorama dos materiais preservados, com destaque aos Kaingang, residentes na região há três mil anos.

Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang: de Geração em Geração

Período: de julho a outubro/2015

Fortalecimento da Memória Tradicional Kaingang de Geração em Geração 2015

 

 

 

 

 

 

A exposição é uma autonarrativa com o intuito de promover a tradição, o processo e as técnicas de confecção da cerâmica Kaingang, valorizando o conhecimento e os fazeres dos indígenas mais velhos e sábios. Todos esses aspectos, materiais e imateriais, foram apresentados ao público através de uma mostra bilíngue (Kaingang e português) que conta com objetos, imagens fotográficas e vídeo.

Coleção Colecionismo

Período: de 30/09/2015 a dezembro/2015 (continua em 2016)

Coleção Colecionismo 2015 (2)

 

 

 

 

 

 

A mostra foi uma oportunidade de exibir ao público as coleções pertencentes ao acervo e que estão guardadas. São itens que despertaram a memória e a emoção dos visitantes.

Tupã Antiga

Período: de 16/10/2015 a dezembro/2015 (continua em 2016)

Tupã Antiga 2015

 

 

 

 

 

Em comemoração ao aniversário de Tupã, foi realizada a exposição “Tupã Antiga”. A mostra foi composta por registros fotográficos pertencentes ao acervo do Museu. São imagens de fatos e locais relevantes da cidade, que se tornaram peças na engrenagem narrativa da história do município. São objetos fundamentais para o conhecimento, compreensão e fortalecimento da memória, pois imortalizam o momento e podem ser conduzidas para outros tempos.

A Presença do Movimento Negro em Tupã

Período: de 16/11/2015 a dezembro/2015 (continua em 2016)

(2015) A Presença do Movimento Negro em Tupã

 

 

 

 

 

Durante a programação especial da “Consciência Negra”, a exposição foi exibida com a proposta de promover a trajetória de 10 anos da ONG União do Movimento Negro com Todos (Umont), que tem como missão preservar e fortalecer a cultura negra.

Memórias da Negritude

Período: de 7/12/2015 a 30/12/2015

Memórias da Negritude 2015

 

 

 

 

 

Em celebração à Semana dos Direitos Humanos, a exposição “Memórias da Negritude” foi realizada no Fórum da Comarca de Tupã. A mostra apresentou o papel participativo do negro, a importância da  igualdade social e a democracia em um país multicultural, como o Brasil. Ainda destacou algumas celebridades brasileiras que contribuíram na construção da cultura do país e na ampliação da cidadania para todos os brasileiros.

2014

Portugal em Tupã

Período: de janeiro a maio/2014

(2014) Portugal em Tupã 2

 

 

 

 

 

 

Os principais colonizadores do Brasil foram temas da exposição temporária “Portugal em Tupã”, que homenageou a colônia portuguesa. A mostra revelou as principais razões que motivaram a vinda dessas famílias para o país, os costumes da “terrinha”, o idioma, as danças, a alimentação e a memória.

Museu Folia

Período: de 19/2/2014 a 28/2/2014

Museu Folia 2014

 

 

 

 

 

 

Em 2014, o Carnaval aconteceu no início março, e para celebrar a data, foi realizado o tradicional projeto “Museu Folia” com uma exposição sobre história da comemoração da festa em Tupã.

Kanhgág Arte, Cultura Material e Imaterial

Período: de 22/4/2014 a 26/4/2014

Kanhgág Arte, Cultura Material e Imaterial (2014)

 

 

 

 

 

 

Especialmente para a 42ª Semana do Índio de Tupã, a exposição retornou ao museu. A mostra apresenta os artefatos reunidos por Josué Carvalho, que confeccionados pelos índios Kaingang das terras indígenas de Nonoai e de Iraí, no Rio Grande do Sul. O acervo conta com cerca de 100 peças, como cestarias e adornos, e fotografias.

Dois Povos, Uma Luta – Terra Indígena Icatu: Kaingang e Terena

Período: dias  22, 23, 24 e 26/4/2014

(2014) Dois Povos, Uma Luta Terra Indígena Icatu Kaingang e Terena 2

 

 

 

 

 

 

Na Praça da Bandeira, durante a 42ª Semana do Índio, foi exibida a exposição “Dois Povos, Uma Luta – Terra Indígena Icatu: Kaingang e Terena”. A mostra teve como objetivo apresentar a história, a luta e as conquistas da terra indígena Icatu.

Futebol em Tupã – Vivências e Memórias

Período: de julho a setembro/2014

Futebol em Tupã – Vivências e Memórias 2014

 

 

 

 

 

Durante a Copa do Mundo no Brasil, foi apresentada a exposição “Futebol em Tupã – Vivências e Memórias”, com o objetivo de provocar lembranças e promover o conhecimento pelas micro-histórias do futebol tupãense, mediante a participação dos atores sociais: o torcedor, os jogadores e organizadores de clubes.

Harald Schultz – Fotografo Etnógrafo

Período: de 5/8/2014 a 9/8/2014

Harald Schultz – Fotografo Etnógrafo 2014 (3)

 

 

 

 

 

 

Em 2014, na “Semana Tupã em Comemoração ao Dia Internacional dos Povos Indígenas”, na Praça da Bandeira, a mostra retornou a Tupã. O antropólogo Harald Schultz produziu uma rica coleção de fotografias, registros etnográficos de grande relevância para os estudos antropológicos. A seleção é uma pequena mostra de um conjunto de 1.127 slides do acervo do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP). A exposição traz cenas de destaque com pinturas e adornos, sobretudos os plumários.

Museu e Cidadania

Período: de 1/10/2014 a 31/10/2014

Museu e Cidadania 2014

 

 

 

 

 

 

A exposição apresenta ao público uma ação educativa do Museu que desenvolve noções de cidadania por meio da participação de grupo da Clínica Dom Bosco. A mostra tem como proposta conscientizar os visitantes e a comunidade sobre a importância do desenvolvimento da cidadania, do papel do cidadão na sociedade, permitindo que cada um reflita sobre cidadania, direitos e solidariedade.

Homenagem ao Fotógrafo

Período: em outubro/2014

Homenagem ao Fotógrafo 2014

 

 

 

 

 

 

No mês de aniversário de Tupã, foi exibida a exposição coletiva “Homenagem ao Fotógrafo”. A mostra contou com 25 imagens do município, registradas pelas lentes de cinco fotógrafos locais, selecionados por meio da participação e representatividade na comunidade. Essas imagens são peças fundamentais para a recuperação, a preservação e a compreensão da história. O objetivo foi homenagear e prestigiar a classe fotográfica, com destaque para a importância do ofício, sem o qual parte da história de Tupã estaria perdida.

2013

Harald Schultz – Fotógrafo Etnógrafo

Período: de janeiro a abril/2013

Harald Schultz – Fotografo Etnógrafo 2014 (3)

 

 

 

 

 

 

A exposição reúne fotografias tiradas durante quase 30 anos pelo antropólogo Harald Schultz em expedições por diversos grupos indígenas brasileiros. As imagens selecionadas integram uma coleção composta por 1.127 mil slides do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP), e destacam aspectos relativos à estética indígena, obtida pela ornamentação do corpo com pinturas e adornos, sobretudo os plumários.

 

Carnaval de Tupã

Período: em fevereiro/2013

Carnaval de Tupã (2013)

 

 

 

 

 

 

Para relembrar os antigos carnavais de Tupã, o Museu exibiu uma série de fotografias, em mídia digital, extraídas do acervo da instituição sobre o evento. Com o passar dos anos, a folia tornou-se uma das mais tradicionais da região oeste paulista.

 

Primeiros Contatos – Atrações e Pacificações do SPI

Período: de abril a junho/2013

Primeiros Contatos – Atrações e Pacificações do SPI 2013

 

 

 

 

 

 

A exposição apresenta 36 fotografias do início do século XX que retratam o projeto de atração de indígenas de diversas regiões brasileiras pelos sertanistas do SPI (Serviço de Proteção ao Índio). As imagens foram selecionadas a partir de uma coleção produzida por Darcy Ribeiro ao Museu do Índio, da Fundação Nacional do Índio (Funai).

 

Harald Schultz: Fotógrafo Etnógrafo– com imagens inéditas

Período: de 23/4/2013 a 28/4/2013

Harald Schultz – Olhar Antropológico (2013)

 

 

 

 

 

 

Durante a 41ª Semana do Índio, foi exibida na Praça da Bandeira, essa exposição que reúne fotografias tiradas durante quase 30 anos pelo antropólogo Harald Schultz durante expedições por diversos grupos indígenas brasileiros.  As imagens selecionadas fazem parte de uma coleção composta por 1.127 slides do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP).

 Escola Estadual Indígena Índia Vanuíre – Oficinas de Alimentação e Armadilhas

Período: de 23/4/2013 a 28/4/2013 Período: de 6/8/2013 a 10/8/2013

Escola Estadual Indígena Índia Vanuíre - Oficinas de Alimentação e Armadilhas 2013 (3)

 

 

 

 

 

 

Por meio da equipe do Museu Índia Vanuíre, do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP) e dos professores indígenas, a exposição foi exibida na Praça da Bandeira em duas edições (abril e agosto). A mostra apresenta o resultado do trabalho educativo realizado na Escola Indígena Vanuíre, conta com fotografias de crianças indígenas da T.I. Vanuíre produzindo alimentos tradicionais e armadilhas de caça.

 

Kanhgág Arte, Cultura Material e Imaterial

Período: de 30/06/2013 a novembro/2013

Kanhgág Arte, Cultura Material e Imaterial (2013) 2

 

 

 

 

 

 

A exposição contém cerca de 100 artefatos, como cestarias e adornos, e um rico registro fotográfico. Os objetos foram confeccionados pelos índios Kaingang das terras indígenas de Nonoai e de Iraí, no Rio Grande do Sul. A mostra ainda apresenta algumas representações contemporâneas do Povo Kanhgág sobre suas culturas material (artefatos) e imaterial (grafismo/pintura corporal), além de identificar e revitalizar a estética da “arte Kanhgág”.

 Memória da Negritude

Período: em novembro/2013

(2013) Memória da Negritude 2

 

 

 

 

 

 

A exposição traz 12 imagens medindo 42x64cm, que retratam as personalidades negras brasileiras ou pessoas que contribuíram para a valorização dos direitos dos afro-brasileiros. Entre as fotografias da mostra estão André Rebouças, Clementina de Jesus, Cruz e Souza, Luísa De Mahin, Lima Barreto, Machado de Assis, Grande Otelo, Antônio Francisco Lisboa “Aleijadinho”, Abdias do Nascimento, Chiquinha Gonzaga, Zumbi dos Palmares e Zé Kéti.

 

Portugal em Tupã

Período: em dezembro/2013 (continua em 2014)

(2014) Portugal em Tupã 2

 

 

 

 

 

 

Os principais colonizadores do Brasil foram temas da exposição temporária “Portugal em Tupã”, que homenageou a colônia portuguesa. A mostra revelou as principais razões que motivaram a vinda dessas famílias para o país, os costumes da “terrinha”, o idioma, as danças, a alimentação e a memória.v

2012

Cores do Xingu

Período: de janeiro a abril/2012

Cores do Xingu 1

 

 

 

 

 

 

O objetivo da mostra “Cores do Xingu” é proporcionar um contato direto entre o visitante e as causas indígenas do Xingu (situado ao norte do Estado de Mato Grosso). Composta por painéis fotográficos, a exposição conta com trilha sonora que reproduz sons da floresta.

 

Momentos da Itália em Tupã

Período: de março/2012 a junho/2012

Momentos da Itália em Tupã (2012)

 

 

 

 

 

 

Com o intuito de consolidar os sentimentos de afinidade entre os dois povos e homenagear uma das colônias de imigrantes mais expressivas do Brasil, o país celebrou de outubro de 2011 a junho de 2012 o “Momento Itália Brasil”. Para comemorar, a mostra apresenta a história da imigração italiana na região de Tupã e a importância desses indivíduos para o desenvolvimento da cidade.

 

Museu Índia Vanuíre e Tecnologia

Período: de 15/5/2012 a 20/5/2012

Museu Índia Vanuíre e Tecnologia 2012

 

 

 

 

 

 

Consiste em uma exposição de fotografias e documentos, digitalizadas para o vídeo exibido na maquete multimídia presente no primeiro módulo expositivo do museu. A proposta é abordar com os visitantes a contribuição dos recursos tecnológicos para a montagem de uma mostra.

 

Amazônia Viva: TyryetêKaxinawá

Período: de 31/8/2012 a 30/9/2012

Amazônia Viva Tyryetê Kaxinawá (2012) 2

 

 

 

 

 

 

A exposição, do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade Federal do Paraná (MAE/UFPR), apresenta desenhos originais de Jaime da Silva Araújo – cujo nome na língua indígena é “Tyryete-Kaxinawá” – companheiro de militância de Chico Mendes, Marina Silva, José Lutsemberg, entre outros, em benefício dos direitos dos trabalhadores extrativistas e da preservação da Amazônia.

 

Harald Schultz – Fotógrafo Etnógrafo

Período: em dezembro/2012 (continua em 2013)

Harald Schultz – Fotógrafo Etnógrafo (2012)

 

 

 

 

 

 

A exposição reúne fotografias tiradas durante quase 30 anos pelo antropólogo Harald Schultz em expedições por diversos grupos indígenas brasileiros. As imagens selecionadas integram uma coleção composta por 1.127 mil slides do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE/USP), e destacam aspectos relativos à estética indígena, obtida pela ornamentação do corpo com pinturas e adornos, sobretudo os plumários.

2011

José Lanzelotti – Mais do Mesmo

Período: de 12/4/2011 a 24/4/2011

José Lanzelotti – Mais do Mesmo (2011)

 

 

 

 

 

 

Durante a 39ª Semana do Índio, a exposição de desenhos de autoria de José Lanzelotti, convidou à população de Tupã e região a contemplar as obras produzidas em aquarela e guache. São cenas que retratam o cotidiano de comunidades indígenas brasileiras da primeira metade do século XX. Produzidas por encomenda do Estado na década de 1970 e integradas ao acervo do Museu anos depois, essa coleção permite conhecer técnicas de confecção de artefatos e culturas de grupos não mais existentes no Brasil.

 

Harald Schultz – Olhar Antropológico

Período: de 13/7/2011 a 30/10/2011

Harald Schultz – Olhar Antropológico (2011)

 

 

 

 

 

 

A mostra reúne fotografias tiradas durante quase 30 anos pelo antropólogo Harald Schultz, durante expedições por diversos grupos indígenas brasileiros. Formada por imagens selecionadas a partir de uma coleção de mais de 1.100 slides do Museu de Arqueologia e Etnografia da Universidade de São Paulo (MAE/USP), a exposição tem como objetivo apresentar os hábitos de crianças de 12 etnias indígenas.

 

Imigração Letã

Período: em novembro/2011

SAM_2275

 

 

 

 

 

 

A exposição foi apresentada por meio do vídeo “Coragem é Ter Fé – A Trajetória dos Imigrantes Letos de Varpa”, produzido pelos tupãenses Tiago da Costa Pettenuci e Alan Marques Pessoa. Com a direção e edição de Robson Luís Moreno, é uma homenagem aos primeiros imigrantes letões que chegaram à região. No dia 24/11/2011, a exibição teve a presença de Nanci Bumbiers, descendente dos primeiros letões que foram para região. Na ocasião, Nanci contou histórias da viagem, narradas por seus antepassados, e mostrou objetos guardados pela família desde então.

 

Cores do Xingu

Período: de 23/11/2011 a dezembro/2011 (continua em 2012)

Cores do Xingu (2011)

 

 

 

 

 

 

O objetivo da mostra “Cores do Xingu” é proporcionar um contato direto entre o visitante e as causas indígenas do Xingu (situado ao norte do Estado de Mato Grosso). Composta por painéis fotográficos, a exposição conta com trilha sonora que reproduz sons da floresta.

2010

Convivência – Ação Educativa Extramuros da Pinacoteca

Período: de 16/08/2010 a 16/09/2010

Convivência – Ação Educativa Extramuros da Pinacoteca (2010) 3

 

 

 

 

 

 

A mostra da Pinacoteca do Estado de São Paulo é resultado de um trabalho de aproximação entre o museu, localizado na capital paulista, e pessoas em situação de vulnerabilidade social. A exposição apresenta desenhos, recortes, colagens, utilizando técnicas de monotipia, tipografia, serigrafia e, principalmente, xilogravura. A ação tem como finalidade levar ao público o conhecimento sobre a importância da cultura preservada pelos museus, além de romper com a ideia da instituição como um espaço destinado apenas a artistas consagrados