governo sao paulo
  • portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Kaingáng – Povo da Floresta

Kaingáng Povo da Floresta
O Brasil em 1500 já era habitado por inúmeros povos indígenas. Muitos deles foram extintos pelo processo de colonização e por outros fatores, mas alguns perduram até o presente com suas culturas em constante transformação. A economia desses povos vem se alterando também, para que possam viver no presente com as suas tradições. Essa é uma forma de resistência cultural.
A exposição Kaingáng Povo da Floresta apresenta um aspecto importante da cultura material desse povo, a cestaria. A cestaria compreende o fazer por meio do trançado de diversas fibras para se obter determinados objetos como cestos, balaios, esteiras, chapéus, abanadores e muitos outros.
Para os Kaingang da Terra Indígena (TI) Nonoai, Rio Grande do Sul, a produção da cestaria é importante para a continuidade das tradições pela economia. As mulheres Kaingang produzem esse artesanato para uso no dia a dia, mas principalmente para a venda.
Em 2013 as mulheres de Nonoai se uniram às Kaingang das TIs Vanuíre (Arco-Íris) e Icatu (Braúna) para o que elas chamam de “resgate” da cultura.
As oficinas Troca de Saberes de Mulheres Kaingang foram organizadas pelo Museu Índia Vanuíre para apoiar as mulheres nessa ação. As cenas da exposição mostram um pouco sobre a execução da cestaria e das oficinas.