• portugues
  • espanhol
  • ingles
  • diminuir texto
  • aumentar texto

Programação Novembro 2020

Novembro Azul

Novembro começou e a conscientização sobre os cuidados com a saúde masculina também. A campanha celebrada nacionalmente tem um intuito: chamar, principalmente, a atenção dos homens para a prevenção ao câncer de próstata. Estamos todos juntos pela conscientização e democratização do tratamento. 

Família no Museu (em casa) 

Hoje aprenderemos a fazer um lindo binóculo com materiais recicláveis. A educadora Lilian ensina como criar esse objeto, que além de divertido inspira as crianças a observarem as paisagens e os pássaros. 

Com o início da pandemia, a ação “Família no Museu” ganhou sua versão virtual (em casa). O Museu Índia Vanuíre desenvolve atividades lúdicas e reflexivas como forma de uma maior integração entre a família e o Museu. O equipamento possui um Plano de Sustentabilidade Ambiental que tem o objetivo de promover reflexões e discussões sobre o tema. Pensando nisso, a equipe educativa realiza oficinas de baixo custo com materiais recicláveis, visando a valorização e a conscientização ambiental.

Curiosidade – Prato em cerâmica

Prato em cerâmica com 21 bonecos tipicamente trajados para dança do Maracatu. Você sabia que o  maracatu é uma típica manifestação do folclore brasileiro? A dança tem origem africana e surgiu em meados do século XVIII, em Pernambuco, nordeste do país. Esse acervo identifica a dança como lembrança cultural dos povos africanos.

Projeto – Olhar é o Sentir pelas Mãos

O projeto “O Olhar é o Sentir pelas Mãos” é uma ação conjunta sociocultural, realizada em parceria com o Programa Vida Iluminada – UNIMED, para promover a inclusão dos deficientes visuais na cultura e para que eles se tornem frequentadores do Museu Índia Vanuíre. No áudio, o participante do projeto, Edilson, dará um depoimento contando um pouco sobre essa parceria com o Museu.

Dia da Cultura 

Hojé é celebrado o Dia da Cultura, e o Museu Índia Vanuíre parabeniza as diversas instituições culturais que se redescobriram no mundo virtual gerando conteúdos que incentivam as pessoas a consumirem cultura sem sair de casa. 

Saberes e Fazeres Indígenas Virtual

Como resposta ao esforço empreendido por comunidades indígenas de todo o país, no que diz respeito à valorização de suas memórias, o Museu Índia Vanuíre estende para além de 19 de abril, Dia do Índio, sua atenção com os indígenas. Assim, o programa “Saberes e Fazeres Indígenas”, que é uma atividade mensal, busca promover o diálogo entre um indígena convidado e o público visitante do Museu.

Nesta edição, Ingrid Damaceno, Krenak da Terra Indígena Vanuíre, conta um pouco sobre a cultura do seu povo. 

Dica de Leitura

Mais um mês com dicas de leitura! Todo sábado tem uma nova. A primeira indicação de novembro é “Os fuzis e as flechas: história de sangue e resistência indígena na ditadura”. É recente a divulgação de papéis sigilosos produzidos pelos militares sobre o tratamento dispensado pelo Estado brasileiro à população indígena durante a ditadura militar – o acesso ao fundo secreto da Funai, por exemplo, só foi liberado sem restrições em 2012. Esse livro apresenta essa documentação valiosa, além de incontáveis entrevistas e viagens de norte a sul do país, para compor a mais completa pesquisa já realizada sobre o assunto.

Família no Museu (em casa) 

Vamos aprender a fazer um marca-página utilizando materiais recicláveis e de fácil acesso? O educador Fernando ensina como criar esse objeto, que além de útil e criativo, facilita e organiza a leitura. 

Com o início da pandemia, a ação “Família no Museu” ganhou sua versão virtual (em casa). O Museu Índia Vanuíre desenvolve atividades lúdicas e reflexivas como forma de uma integrar a família e o Museu. O equipamento possui um Plano de Sustentabilidade Ambiental que tem o intuito de promover reflexões e discussões sobre o tema. Pensando nisso, a equipe educativa realiza oficinas de baixo custo com materiais recicláveis, visando a valorização e a conscientização ambiental.

Curiosidade – Acervo Museu Índia Vanuíre

Você sabia que o Museu tem um selo com a imagem da “Roda Viva” no valor de 5,00 Cruzeiros? Ele foi lançado como uma homenagem ao 2º Festival de Artes e Cultura Negra e Africana.

Ação virtual: Roda de conversa com Museus da Região

Realização de conversa entre a equipe do Museu Índia Vanuíre e representantes de museus da região, via Google Meet ou Zoom para falar sobre os desafios e experiências dos equipamentos na pandemia. Os convites serão enviados aos museus da região e a outras instituições interessadas. Os objetivos são promover o diálogo e o fortalecimento das instituições da região.

Apesar de ser uma ação voltada para um público específico, será feita a divulgação nas redes sociais para mostrar o compromisso do Museu em dialogar com outras instituições culturais.

Projeto – Olhar é o Sentir pelas Mãos

O projeto “O Olhar é o Sentir pelas Mãos” é uma ação conjunta sociocultural, realizada em parceria com o Programa Vida Iluminada – UNIMED, para promover a inclusão dos deficientes visuais na cultura e para que eles se tornem frequentadores do Museu Índia Vanuíre. No áudio, o participante do projeto, Alisson, dará um depoimento contando um pouco sobre essa parceria com o Museu.

Caça-palavras

Que tal brincar de caça-palavras?

O caça-palavras ajuda na habilidade e percepção, sendo um passatempo muito divertido em que as palavras devem ser encontradas, já que ficam escondidas no meio de várias letras.

Que tal realizar esse desafio? Encontre 10 palavras relacionadas ao Acervo do Museu.

Dica de Leitura

A segunda indicação do mês é “Contos indígenas brasileiros”. Essa obra mostra que a palavra cria, enfeitiça, embriaga, gera monstros, faz heróis, remete a própria memória ancestral e dá sentido ao estar no mundo. Foi com essa paixão e certeza que este livro foi escrito por meio da seleção de mitos que representam a caminhada de diversos povos indígenas. 

Família no Museu (em casa) 

Que tal aprender a confeccionar um lindo foguete com materiais recicláveis? A educadora Gabriela ensinará a reutilizar materiais de fácil acesso, que além de lúdicos, estimulam as crianças a desenvolverem a criatividade. 

Com o início da pandemia, a ação “Família no Museu” ganhou sua versão virtual (em casa). O Museu Índia Vanuíre promove atividades lúdicas e reflexivas como forma de uma integrar a família e o Museu. O equipamento possui um Plano de Sustentabilidade Ambiental que tem o objetivo de realizar reflexões e discussões sobre o tema. Pensando nisso, a equipe educativa produz  oficinas de baixo custo com materiais recicláveis, visando a valorização e a conscientização ambiental.

Curiosidade – Acervo Museu Índia Vanuíre

O berimbau é um instrumento musical trazidos pelos escravos africanos, e que foi incorporado à prática da arte marcial afro-brasileira conhecida como capoeira, na qual o seu som comanda o ritmo dos movimentos do capoeirista. O berimbau também conhecido como berimbau de peito em Portugal, ou hungo na África, é um instrumento de corda com origem na Angola e tradicional da Bahia. É, também, famoso entre os angolanos como m’bolumbumba, e utilizado pelos quimbundos, ovambos, nyanekas, humbis e khoisan.

O Museu Compartilha

O Museu Índia Vanuíre lançará uma ação com o nome “O Museu Compartilha” voltada para as instituições culturais da região com o intuito de responder as dúvidas e contribuir para o aprimoramento das atividades dessas instituições. Visto a inviabilidade de recebimento de grupos de profissionais interessados, por conta da pandemia, o equipamento pretende atender a essa demanda pelo meio virtual. 

Nesse sentido, realizará a ação em novembro e dezembro. Em novembro, o Museu abrirá um canal (via e-mail ou WhatsApp) para receber as dúvidas dos museus e instituições da região. Os museus já estarão cientes do desenvolvimento dessa prática, pois serão convidados com antecedência, além de ser divulgada nas redes sociais para a participação de outros interessados. Em dezembro, o Museu dará uma devolutiva postando em suas redes sociais vídeos respondendo às perguntas mais frequentes. Estes também ficarão fixos no site da instituição. A ideia de manter essa ação no site é possibilitar que os interessados possam acessar as respostas quando quiserem.

Projeto – Você Sabia?

O Museu apresentará um vídeo em que será abordado a temática da Consciência Negra, discorrendo sobre quando foi instituída a data, além de apresentar algumas personalidades negras que se destacaram em vários segmentos.

Dica de Leitura

Apapaatai são seres-espíritos. São entes poderosos, remanescentes de tempos antiquíssimos, quando todas as criaturas, incluindo os primeiros ancestrais proto-humanos, viviam juntos e interagiam diretamente – o tempo dos apapaatai. A dica de leitura deste sábado, “Apapaatai: rituais de máscaras no Alto Xingu”, trata desse assunto tão interessante. Neste livro, Aristóteles Barcelos apresenta seres notáveis e as suas complexas relações com os humanos. 

Família no Museu (em casa) 

Vamos aprender a fazer um brinquedo de labirinto com garrafa pet e estimular a criatividade? A educadora Uiara ensina a confeccionar utilizando materiais recicláveis, e a família toda pode brincar. No site do Museu há várias imagens do acervo que você poderá usar para enfeitá-lo, além de aprender sobre esses objetos. Você poderá escolher a imagem que quiser e aprender se divertindo: 

www.museuindiavanuire.org.br/o-museu/acervo/imagens-do-acervo/

Com o início da pandemia, a ação “Família no Museu” ganhou sua versão virtual (em casa). O Museu Índia Vanuíre desenvolve atividades lúdicas e reflexivas como forma integrar a família e o Museu. O equipamento possui um Plano de Sustentabilidade Ambiental que tem o objetivo de promover reflexões e discussões sobre o tema. Pensando nisso, a equipe educativa realiza oficinas de baixo custo com materiais recicláveis, visando a valorização e a conscientização ambiental.

Curiosidade – Acervo Museu Índia Vanuíre

Você sabia que o Museu Índia Vanuíre tem algumas xilogravuras de “Enéias Tavares Santos? Em uma dessas ” Xilogravura Popular” tem a imagem da capoeira, luta e dança trazida pelos africanos. Ao som do berimbau, a capoeira tem seu reduto forte na Bahia, embora exista em quase todo o Nordeste. Hoje, mais luta que dança, a capoeira é ensinada em escolas próprias, persistindo, ainda, algumas formas autênticas dessa expressão cultural dos negros de Angola.

Projeto – Aguçando as Memórias

O projeto Aguçando as Memórias é desenvolvido para o público idoso e tem como objetivos a valorização e a inserção na sociedade, reconhecendo-os como cidadãos ativos e produtores de cultura.

E para este mês, as integrantes apresentarão, em vídeo, sentimentos e atividades artesanais, novas habilidades descobertas e exploradas na pandemia.

Projeto – Museu e Cidadania 

Neste mês, com o objetivo de estimular a memória dos participantes, será realizada uma atividade em que os mesmos darão depoimentos sobre o papel e a importância do Museu na vida de cada um deles, especialmente nesse período de isolamento social. A ação será apresentada em formato de vídeo e tem como objetivo a inclusão sociocultural virtual entre a equipe educativa e uma instituição para pessoas com deficiência. 

Projeto – Vem que Eu te Conto um Conto

Vamos ouvir uma história contada pela indígena Fabiana? No conto, ela fala sobre seu povo às crianças da comunidade e compartilha com você. A ação mostra a socialização delas com os adultos na transmissão dos saberes.

Além disso, parte da premissa de que ouvir histórias possibilita aguçar a memória cultural e afetiva. Por isso, o projeto Vem que Eu te Conto um Conto oportuniza, aos diversos públicos, a difusão e a ampliação do conhecimento por meio de histórias contadas.

Cultura e Questões Indígenas em Foco Virtual

A sugestão de vídeo é a série Índios do Brasil, episódio “Do outro lado do céu”. A religião é parte fundamental da cultura indígena. Para os Yanomami, com aldeia localizada em Roraima, se seus pajés não fizerem seus rituais continuamente, o céu cai na Terra sobre as cabeças. Esse episódio da série Índios do Brasil trata da relação dessa etnia com o divino, mostrando a importância dos rituais para suas vidas e a forma como o espiritual está relacionado à natureza e a todo o universo. O programa mostra, também, os costumes e rituais religiosos da tribo Pankararu, de Pernambuco, e dos Maxacali, em Minas Gerais.

https://www.youtube.com/watch?v=oy0oxtCAm-U 

O “Cultura e Questões Indígenas em Foco” trata-se de um programa que tem o compromisso de divulgar questões relacionadas aos povos indígenas, para que novas gerações reconheçam a contribuição e a influência de diversos grupos para a construção da sociedade brasileira.

Dica de Leitura

A última dica de leitura de novembro apresenta a autora Maria Inez do Espírito Santo, com a obra “Vasos sagrados: mitos indígenas brasileiros e o encontro com o feminino”. Ao relatar suas vivências clínicas, ela intercalou-as aos muitos contos narrados, como inspiração para a cura a pacientes do seu laboratório de afetos. Temos em mãos, assim, obra de duplo alcance, que por um lado historia os casos tratados, dando-nos por outro, por sua verve e pujança, a antiga sabedoria das matas. 

Família no Museu (em casa) 

Nesta oficina você aprenderá a confeccionar um quebra-cabeça divertido feito com palitos de sorvete. A educadora Tina ensinará como criar esse brinquedo, que ajudará as crianças na capacidade de concentração, percepção visual e aumento de conhecimentos sobre diversos assuntos. No site do Museu, há várias imagens do acervo que você poderá usar para fazer seu quebra-cabeça, além de aprender sobre esses objetos. Você poderá escolher a imagem que quiser e aprender se divertindo:

www.museuindiavanuire.org.br/o-museu/acervo/imagens-do-acervo/

Com o início da pandemia, a ação “Família no Museu” ganhou sua versão virtual (em casa). O Museu Índia Vanuíre desenvolve atividades lúdicas e reflexivas como forma de integrar a família e o Museu. O equipamento possui um Plano de Sustentabilidade Ambiental que tem o objetivo de promover reflexões e discussões sobre o tema. Pensando nisso, a equipe educativa realiza oficinas de baixo custo com materiais recicláveis, visando a valorização e a conscientização ambiental.

Curiosidade – Acervo Museu Índia Vanuíre

Óleo sobre tela. Imagem do Solar Luiz de Souza Leão. Quadro pintado pela artista plástica tupaense Eliza Périco, que tem se destacado dentro da cultura negra, para um concurso de pinturas em quadro realizado em Tupã (Projeto Pinte sua Cidade) pelo Museu  Índia Vanuíre.

QuizConhecendo os projetos do Museu

1- Projeto para promover a inclusão dos deficientes visuais na cultura e para que eles se tornem frequentadores do Museu.

Aguçando as Memórias

Vem que te conto um conto

Férias no Museu

O olhar é o sentir pelas mãos

2- O projeto é desenvolvido para o público idoso e tem como objetivo a valorização e a inserção na sociedade, reconhecendo-os como cidadãos ativos e produtores de cultura.

Museu Verde

Aguçando as Memórias

Museu Jovem

Museu e Cidadania

3 – Projeto com atividades lúdicas e reflexivas como forma de uma mais integração entre a família e o Museu, realizadas aos finais de semana.

Museu Folia

Capacitação para professores

Projeto Identidade

Família no Museu

4- O projeto tem como objetivo a inclusão sociocultural entre a equipe educativa e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Museu Jovem

Capacitação para professores

O olhar é o sentir pelas mãos

A voz da memória

Consciência Negra

Para celebrar o Dia da Consciência Negra (20 de novembro), data em que Zumbi dos Palmares foi morto em 1695, o Museu Índia Vanuíre realizará uma programação especial em edição virtual. Durante o mês, serão promovidas palestras, roda de conversas, apresentações de dança e oficinas culturais. 

O Museu propõe a reflexão, a conscientização e a valorização sobre os saberes e experiências da cultura afro. As programações têm como objetivos valorizar a cultura negra, mostrar o papel participativo do negro na sociedade brasileira e a sua presença ativa na construção de uma cidadania baseada em princípios democráticos que estimulam a diversidade e as diferenças culturais.

Palestra – A História da África

Com o objetivo de promover a reflexão sobre a importância da cultura e do povo africano na formação da cultura nacional, o Museu convida o Drº. Profº. Edilson Marques da Silva para realizar, por meio de ação virtual, uma oficina sobre a História da África. Os temas abordados serão: a presença africana no Brasil segundo os dados do IBGE; a história da África e a desconstrução da ideologia do racismo;  a primeira civilização – O Egito; a Etiópia e a Siderurgia; os grandes reinos africanos; e o contato entre África e Europa.

#TBT 

Registro coletado em 2017 com o depoimento de personalidades negras de Tupã relatando a importância do evento “Consciência Negra” realizado pelo Museu Índia Vanuíre. O #TBT de hoje é para o relato de Pedro Placidino, músico, advogado e membro do movimento negro de Tupã.

Oficina: Tranças Nagô e Box Brainds

O ativismo pelos cabelos naturais não podem ficar restrito a cor da pele. Mulheres de cabelo crespo passam a vida sendo bombardeadas pelo padrão de beleza que, por muito tempo, só teve espaço para o cabelo liso.

Marisa Silva, cabeleireira e diretora da ONG Umont apresentará  técnicas de tranças, dreads e penteados para cabelos crespos.  

A atividade tem como objetivos valorizar a tradição e estética afro, além de provocar a autoestima e autoafirmação da mulher negra.

Dança Afro – Movimento e Expressão Ancestral

Marisa Silva, Fundadora  e Diretora da Cia de Dança Stylo Black, Pesquisadora da cultura afro-brasileira e africana, Diretora de Relações Publicas da ONG UMONT – União do Movimento Negro com Todos desde 2005, Professora de aulas de dança em vários ritmos, desenvolverá uma oficina com movimentos básicos da dança afro. A dança afro está presente no nosso dia a dia, faz parte da essência humana e seus movimentos nos colocam mais próximos de nós mesmos, de nossa ancestralidade e da natureza.

#TBT 

Registro coletado em 2017 com o depoimento de personalidades negras de Tupã relatando a importância do evento “Consciência Negra” realizado pelo Museu Índia Vanuíre. O #TBT de hoje é para o relato de Elisa Périco, artista plástica de Tupã e membro do movimento negro.

Bate-papo – A importância e a resistência da Consciência Negra

O Museu disponibilizará, em suas redes sociais, um bate-papo com André Prado, Fundador e Presidente da ONG UMONT – União do Movimento Negro com Todos, para debater o tema “Racismo velado, políticas publicas para população negra, projetos para juventude negra e reflexão sobre a consciência negra no brasil e no município de Tupã”. O objetivo da ação é difundir o conhecimento de como tem sido feita, historicamente, a inserção do negro na sociedade brasileira.

Oficina: Confecção de bonecas Abayomi

Marisa Ébano desenvolverá uma oficina de confecção das bonecas Abayomi. O objetivo é reconhecer a importância histórica e cultural delas perpassando por aspectos culturais da história, da cultura negra e de sua influência para a brasileira, bem como valorizando a diversidade e o respeito pela mesma.

#TBT O que sabemos sobre o povo negro

O #TBT de hoje vai para a palestra “ O que sabemos sobre o povo negro”, realizada em 2017 e ministrada pro André Prado, presidente da Ong UMONT, produtor cultural e pesquisador de cultura afro. A ação foi desenvolvida por meio de roda de conversa e exibição de vídeos tendo como objetivo estimular a reflexão sobre ideias pré-concebidas e errôneas sobre a cultura Afro. Ao final da ação, o palestrante deixou seu registro falando sobre a importância da atividade.

Oficina de Grafite

André Prado, coordenador de oficinas culturais, grafiteiro e ligado ao movimento Hip Hop há mais de 10 anos, apresentará por meio de oficina as técnicas básicas de graffiti, como traços, contornos e degradês utilizando tintas látex e sprays. 

Você Sabia?

O Museu apresentará um vídeo em que será abordado a temática da Consciência Negra, discorrendo sobre quando foi instituída a data, além de apresentar algumas personalidades negras que se destacaram em vários segmentos.

Homenagem a Zumbi dos Palmares

Zumbi dos Palmares é um dos grandes nomes da história do Brasil. Ele foi um dos líderes do Quilombo dos Palmares, o maior e mais longevo quilombo da história de nosso país. Zumbi assumiu a liderança do quilombo, em 1678, e resistiu, durante quase 20 anos, contra as investidas dos portugueses.

Foi morto após ter seu esconderijo denunciado, no dia 20 de novembro de 1695. Zumbi é, atualmente, um dos grandes símbolos da luta dos negros e dos africanos contra a escravidão no Brasil. Sua memória também é utilizada, nos dias de hoje, como símbolo de luta dos negros contra o racismo presente na sociedade brasileira. 

fonte:https://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/zumbi-dos-palmares.htm 

Sugestão de Vídeo

Em razão da comemoração do Dia da Consciência Negra (20/11), a indicação a indicação de vídeo de hoje é o episódio “Matriz Afro”, da série “O Povo Brasileiro”, produzido a partir da obra do antropólogo Darcy Ribeiro (1913-1997). Definidos por Darcy Ribeiro como a massa substancial da força de trabalho de se fazer o Brasil e como o componente mais criativo da cultura brasileira, os negros, segundo a análise do antropólogo, vêm de um continente de realidade humana muito heterogênea, de sociedades, línguas e culturas variadas.

Projeto – Museu Jovem 

Pensando em explorar os conteúdos relacionados ao mês da Consciência Negra, os integrantes apresentarão atividades referentes à temática. Por meio de encontros virtuais, a equipe desenvolverá ações que serão acopladas em formato de vídeo. O evento tem como objetivo a inclusão sociocultural virtual entre a equipe educativa e uma instituição para pessoas em vulnerabilidade social. 

Oficina: Dança Afro Urbana

Nesta oficina serão apresentados recortes do espetáculo “Empoderamento Black”. O evento de dança aborda os temas racismo, preconceito e assédio por meio de relatos e expressão corporal de mulheres negras, além de enfatizar que embora ainda exista preconceito, elas vêm conquistando força e posicionamento nas universidades e em todos os campos sociais, políticos e econômicos. 

Ao final da apresentação, será realizado um aulão de danças africanas, afro-brasileiras e dance hall.

#TBT 

Registro coletado em 2017 com o depoimento de personalidades negras de Tupã relatando a importância do evento “Consciência Negra” realizado pelo Museu Índia Vanuíre. O #TBT de hoje é para o relato de André Prado, produtor cultural e membro do movimento negro de Tupã.

Contação de Histórias Africanas

Toda história por mais simples que pareça transmite algo a mais ao desenvolvimento da criança, de uma forma criativa e reflexiva. 

Com o objetivo de promover a reflexão e o conhecimento de uma forma dinâmica, será realizada a ação de Contação de Histórias. Com a ajuda de bonecos de fantoche serão apresentadas ao público virtual várias histórias, fábulas e lendas sobre a cultura negra.

Informações: (14) 3491-2333

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*